[TAG] TAG dos 50% – Mangás

Nota da Editora: gente, eu juro que pedi pra ele resumir, mas quem disse que ele me escuta? Então pega um café / chá / cerveja e aproveita a leitura 😉

 

Cá estou eu respondendo minha primeira TAG aqui no blog, convite (leiam ordem) da chefia, trago para vocês a TAG dos 50% versão Mangá. A versão dos livros foi respondida ontem pela @willyaraamorim.

Pra quem não sabe essa TAG consiste em 15 perguntas que devem ser respondidas com leituras que foram feitas até o primeiro semestre de 2018. Como mangá é algo continuo algumas respostas irão abordar volumes específicos outras terão a coleção no geral (ou pelo menos até o volume que li) como resposta. Mas chega de enrolação e vamos ao que interessa!

  1. Melhor leitura até agora:

    PlutoEscolhi o volume 2 do mangá Pluto de Naoki Urasawa. O porquê é que o volume 1 eu li no final do ano passado. Há muito tempo eu queria ler esse mangá que foi escrito por um dos autores mais consagrados do suspense e do Seinen (mangá com temáticas mais voltadas para o público adulto, com histórias mais sérias e traços mais realistas). Pluto conta a história de uma sociedade futurista onde os humanos convivem lado a lado com robôs. Nesse mundo após uma grande guerra, 9 desses robôs  se destacaram e se tornaram os ícones da sociedade. A história tem inicio quando um deles é destruído em um grande incêndio e logo depois um humano defensor das causas dos robôs também aparece morto e com caraterísticas semelhantes. Cabe agora a Gesicht, também um dos 9, que é um policial, desvendar este crime e impedir que os outros 7 robôs e seus criadores sejam mortos.

  2. Melhor continuação que li ate agora:

    your lie in aprilBom esse tópico fica um tanto vago quando se trata de mangá, já que a maioria tem continuação. Então escolhi Your Lie In April (Shigatsu Wa Kimi o Uso no original) uma série que trata de música clássica, superação e amor. Your Lie começa de forma tímida com o protagonista marcado por um trauma familiar, o que o fez abandonar o piano e se afastar dos palcos, mas após conhecer uma jovem violinista (os personagem ainda estão em idade escolar) e assisti a uma apresentação dela, a paixão pela música começa a despertar novamente dentro dele. Uma história muito cativante que ainda estou acompanhado e aconselho você a ver a versão animada ao invés de ler (eu estou fazendo os dois), pois assim terão uma experiência mais completa, sem contar que o anime é um dos mais bonitos visualmente que já assisti e é bem colorido.

  3. Lançamento do primeiro semestre que ainda não leu, mas quer muito:

    Tekken Kinkreet, lançado pela editora Devir através do selo Tsuru. É um mangá cyberpunk, só isso já me instiga a querer ler.

  4. Mais aguardados do segundo semestre:

    the neverlandPara este tópico eu escolhi três que já foram confirmados seus lançamentos aqui no Brasil.

    The Promesid Neverland, atualmente um dos grandes sucessos do mercado japonês. Tenho acompanhado esse mangá por leitores online e ele tem uma temática de mistério, aventura e sobrevivência. Será lançado pela editora Panini e com certeza trarei uma resenha dele assim que for publicado.

    O segundo é Oyasumi Punpun de Inio Asano, mesmo autor de um dos meus mangás favoritos da vida, Solanin. Asano é conhecido pela sua narrativa filosófica e reflexiva onde ele aborda sempre o lado complexo e perdido do ser humano. Não sei nada sobre Punpun, mas confio no autor de olhos fechados, então com certeza vou ser surpreendido positivamente. Também terá resenha dele quando for lançado.

    punpunE por último, mas não menos importante, Erased (Boku Dake Ga Inai Machi no original). Eu conheci essa obra através da animação que teve em 2016 e foi junto com Hai To Gensou No Grimgar os melhores animes daquele ano para mim.

    Erased conta a história de Satoru Fijinuma, um rapaz de 29 anos que tem um poder incomum de voltar alguns minutos no tempo sempre que algum acidente está para acontecer próximo a ele, assim ele tem a chance de salvar vidas. Depois de ser acusado de um crime e de alguma forma voltar 18 anos no seu passado, Satura agora no seu corpo de 11 (mas com a mente e as lembranças do futuro) tem que impedir os crimes de sequestro e desaparecido que já haviam acontecido na sua época de escola e assim salvar seu futuro, pois parece que tudo esta interligado.

    Uma história que envolve mistério e investigação muito bem executados e que deixaria qualquer amante de thriller investigativo bem vidrado. E sim, também vai ter review dele aqui (aposto que a Willy está vibrando com todas essas promessas #medo kkk).

    Nota da Editora: não somente estou vibrando, como irei cobrar TODAS as resenhas, pois promessa é divida! hehe

  5. Decepcionou-me esse ano:

    one puch manNão diria que foi/está sendo uma decepção, mas One Punch Man tem sido uma leitura que estou meio que arrastando com a barriga. Uma sátira onde o protagonista após treinar arduamente adquiriu uma força absurda que o faz vencer qualquer inimigo por mais ameaçador que ele seja para todos os outro com um soco só tente a ser interessante, mas até certo ponto. Saitama é um cara despreocupado com a vida vivendo em um mundo onde ser herói é uma profissão que requer certo trabalho para se manter. A história é uma sátira as histórias de heróis, a comédia é boa, mas ao longo de 13 volumes (que eu li até o momento), o mais do mesmo a cada novo arco tente a se tornar cansativo.

  6. Surpreendeu-me esse ano:

    Esse aqui vai ficar com um dos mangá que atualmente eu mais sinto prazer em ler: The Ancient Magus Bride (Maho Tsukai no Yome no original) uma história de fantasia incrível, suave e bem instigante. Se quiser saber mais sobre ela veja meu post da obra clicando Aqui.

  7. Novo autor favorito que foi lançado/conheceu no primeiro semestre:

    innocentNão que eu tenha conhecido ele só agora, já li alguns anos atrás outra obra dele, mas essa é a primeira que oficialmente é lançada aqui no país. Estou falando de Shun’ Ichi Sakamoto, autor de Innocent. O traço do autor é mais voltado para o realismo o que deixa as suas obras bem mais emblemáticas (pelo menos as duas que tive contato) e a história de Innocent por se tratar de uma obra que aborda um contexto histórico real acaba por combinar perfeitamente arte com narrativa. Innocent vai contar a história de Charles Henri Sanson, um personagem real da revolução francesa, aquele que viria a ser o carrasco oficial da França no século XVIII. Nessa obra acompanhamos Charles desde sua infância vivendo a sombra de uma família de carrascos que eram visto com maus olhos pela sociedade e isso vai moldando sua personalidade, de um garoto inocente e puro a um homem determinado mais sempre buscando impor o seu senso de justiça que a muito se difere do restante de sua família.

  8. Sua quedinha por personagem fictício mais recente:

    IMG-20180701-WA0013Eu não sou de ficar me encantando por personagens, mas escolhi Akame de Akame Ga Kill. Akame é uma assassina extremamente habilidosa e que em uma luta depois que ela “gira a chave mental que tranca seus sentimentos” se torna uma máquina assassina e só para quando finaliza sua missão. Mas ela tem um lado mais humano, cuidadoso com seus companheiros e um apetite insaciável por carne. Akame é o típico personagem que você consegue se apaixonar e não subestimar ela nunca.

    Nota da Editora: ‘Pera ai, preciso girar a minha chave mental para trancar meus sentimentos também. Correndo pra Amazon pra comprar o volume…

  9. Seu personagem favorito mais recente:

    IMG-20180701-WA0016Um personagem que já acompanho há um tempo, mas que demorou para simpatizar com ele foi Yato de Noragami. Yato é um deus da calamidade e por conta disso ele não tem seguidores e nem um templo, mas não se enganem ele quer mudar isso e ter o seu tão sonhado templo e ser adorado como os outros deuses, para isso ele se torna um deus delivery, atendendo a qualquer desejo por 5 ienes (é a tradição dos templos japoneses você fazer um pedido ao deus do templo jogando uma moeda de 5 ienes para ele). A construção tanto de personagem quanto de mundo nessa história é muito boa, e embora vejamos Yato sempre alegre em busca de trabalho (ou emburrado e fazendo manha para chamar a atenção dos outros personagens), ele guarda dentre de si o peso das atitudes que cometeu no passado. Um personagem que parece ser simples, mas é muito mais profundo do que parenta.

    Nota da Editora: Mas menino, o Yato é um fofo. O que não me simpatizei de jeito algum é o Yukine, menininho chato.

  10. Um que te fez chorar no primeiro semestre:

    IMG-20180701-WA0015Não me fez chorar, mas me fez sentir uma porrada de sentimentos controversos (e um ódio mortal de uma personagem como nunca senti antes). Esse mangá é A Voz do Silêncio ou Koe no Katachi no original. Esse mangá conta a história de Ishida, um garoto do primário que é hiperativo e que vive propondo desafios a se mesmo e os amigos para dar mais “emoção” na sua vida, por exemplo, pular de pontes e cair nos rios da cidade. Um dia uma nova aluna chega à sua sala, – Nishimiya – só que ela tem uma deficiência auditiva e por causa dessa condição a sala começa a alterar sua rotina para acomodar a nova aluna, mas isso passa a incomodar Ishida fazendo ele começar a cometer bullying com a garota e influenciando a sala a fazer o mesmo “só por diversão”. Mas quando a coisa fica seria chegando a gerar gastos financeiros para a escola, toda a sala se volta contra Ishida e assim ele passa a ser alvo do bullying e Nishimiya é transferida de escola.

    Anos mais tarde Ishida reencontra com Nishimiya só que agora ele está mudado, não confia mais nas pessoas, não se envolve com ninguém, mas está disposto a tentar compensar o mal que causo a ela antes. Uma história de redenção, perdas, bullying, aceitação e que, mesmo assim, alguns personagens tentem a permanecer cegos perante seus próprios erros. Uma história muito delicada, que rendeu um filme em animação que compila todos os sete volumes de uma forma muito boa e fluida, recomendo ambos tanto filme quanto mangá.

  11. Um que te deixou feliz no primeiro semestre:

    IMG-20180701-WA0004Sem dúvidas esse feito foi de Zelda Ocarina of Time. Embora seja um mangá infantil, ele é do meu jogo favorito da franquia Zelda e o sentimento de nostalgia ao ler essa adaptação foi muito bom. Esse é um tipo de mangá que não recomendaria para todos e sim pra quem teve a experiência com os jogos, pois sendo uma história mais voltada para o publico infantil ela é mais simples e bem mais “boba” por assim dizer.

  12. Melhor adaptação:

    Eu não tenho assistido muitas animações ultimamente então à única que estou acompanhado é a de Nanatsu no Taizai (no Brasil e publicado com o titulo de The Seven Deadly Sins). Está na segunda temporada da animação, mas bem fiel a obra original e estou gostando bastante.

    Nota da Editora: Eu viciei meu irmão e meu sobrinho neste anime. Cara, você que está lendo, se ainda não assistiu, vá na Santa Netflix e assista!

  13. Resenha favorita desse ano, escrita ou em vídeo:Bom, essa aqui eu escolhi a que teve mais interação no meu Instagram até a data da escrita desse post. Se foi a que mais interagiram então deve ter sido a melhor até agora, ela é a resenha da minha releitura de Orange volume 1. Seria antiético dar números aqui, mas quem ficou interessado só da uma passada la no meu ig.

    Nota da Editora: Cadê a resenha pro blog? Hein, Hein, Hein?

  14. Mais bonito que comprou ou recebeu esse ano:

    IMG-20180630-WA0017Um mangá que tem me enchido os olhos à algumas edições, tanto pela arte linda das capas quanto dos traços internos, tem sido as edições de Saintia Shô (spin-off da serie de cavaleiros dos zodíacos). Em especial a capa do volume 8 é a minha favorita ate o momento.

  15. Quais quer ler ou precisa ate o final do ano:

    IMG-20180701-WA0010TODOS! Sério, além daqueles que eu já citei na resposta do tópico 4, na minha lista entram também: Ayako, do Osama Tezuka, que eu já tenho mais ainda não achei o momento para lê-lo (manja as edições de GOT, pois a Ayako é fortinho igual eles); Akira volume 2 que já esta pra sair e ainda irei adquirir; Uzumaki, a espiral do horror, de Junji Ito, que seriamente estou meio com receio de ler ele mas curioso ao mesmos tempo (sendo Junji Ito tenho receio das bizarrices que podem vir); E Nonnonba, mas um mangá da Devir que parece se tratar um pouco do folclore antigo japonês, um tema que muito me atrai.

Bom é isso. Esse poste ficou bem mais longo do que eu imaginei. Pra quem leu até aqui fica o meu singelo agradecimento e espero ter dado boas dicas a quem quer se aventurar nesse mundo literário nipônico. Ficarei muito feliz em ler as respostas de vocês também, então comentem nesse poste ou venham conversar com a gente através dos outros canais de acesso do blog. Por hoje é só pessoal!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: