[Devaneio] Domingo

Ela odiava os domingos. Até hoje isso era uma incógnita: todos os dias ela sempre estava ansiosa, mas no domingo, parecia que um grito queria sair de sua garganta, uma vontade louca de chorar e qualquer coisinha que falavam se transformavam em sua guilhotina.

Os domingos a sufocavam. As conversas se tornavam banais de mais, as horas pareciam estar com pressa de que o dia acabasse para poupar o sofrimento da menina, mas por mais que corressem, eles pareciam estar estagnados, transcorria anos e anos cada vez que o ponteiro mudava de lugar preguiçosamente. Nenhum programa da TV preenchia o vazio, nenhum passeio parecia valer a pena, nenhum amor conseguia estancar essa ansiedade.

Ah! Ansiedade! Como ela odiava essa sensação! Enchia o peito dela de muitas coisas, muitas cores que ao se misturarem deixava tudo branco e disso fazia de seu quarto, como naqueles filmes de loucos, tudo branco, tudo límpido, tudo claro demais. E esse é o problema, as vezes uma sombra nos ajuda descansar. DESCANÇO palavra que parece algodão doce, uma textura macia quando tiramos do palito, doce e gostoso, mas quando está no fim fica um tanto quanto áspero e deixa saudades quando dissolve na boca. Tudo que ela sente falta é disso, descansar, mas os domingos são sufocantes, parecem eternos dentro daquelas 24hs.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: