Poema – Quem sou eu?

Quem Sou Eu? Eu às vezes não entendo! As pessoas têm um jeito De falar de todo mundo Que não deve ser direito. Aí eu fico pensando Que isso não está bem. As pessoas são quem são, Ou são o que elas têm? Eu queria que comigo Fosse tudo diferente. Se alguém pensasse em mim,... Continue lendo →

Anúncios

Mangá – Projeto Death Note, parte I – 1º Ato

Quem quer embarcar em um projeto de leitura ai? Saudações leitores, eu e a @thaliarockenbach encaramos um projeto de releitura do mangá Death Note, criado pela Maria Eduarda do canal Registros Literários. O projeto consiste em ler/reler essa obra ao longo de 6 meses, o mangá em si possui 12 volumes no seu original, mas... Continue lendo →

Poema – Eu Te Amo (Chico Buarque)

Eu te amo Ah, se já perdemos a noção da hora Se juntos já jogamos tudo fora Me conta agora como hei de partir Se, ao te conhecer, dei pra sonhar, fiz tantos desvarios Rompi com o mundo, queimei meus navios Me diz pra onde é que inda posso ir Se nós, nas travessuras das... Continue lendo →

Poema – Razão de Ser (Paulo Leminski)

Razão de Ser Escrevo. E pronto. Escrevo porque preciso, preciso porque estou tonto. Ninguém tem nada com isso. Escrevo porque amanhece, E as estrelas lá no céu Lembram letras no papel, Quando o poema me anoitece. A aranha tece teias. O peixe beija e morde o que vê. Eu escrevo apenas. Tem que ter por... Continue lendo →

Texto – Seja um idiota, por Arnaldo Jabor

A idiotice é vital para a felicidade. Gente chata essa que quer ser séria, profunda e visceral sempre.  A vida já é um caos, por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado? Deixe a seriedade para as horas em que ela é inevitável: mortes, separações, dores e afins. No dia-a-dia, pelo amor de Deus,... Continue lendo →

Poema – Soneto do Amigo

Enfim, depois de tanto erro passado Tantas retaliações, tanto perigo Eis que ressurge noutro o velho amigo Nunca perdido, sempre reencontrado. É bom sentá-lo novamente ao lado Com olhos que contêm o olhar antigo Sempre comigo um pouco atribulado E como sempre singular comigo. Um bicho igual a mim, simples e humano Sabendo se mover... Continue lendo →

Texto: O Amor no Colo – por Fabrício Carpinejar

A dor não pede compreensão, pede respeito. Não abandonar a cadeira, ficar sentado na posição em que ela é mais aguda.  Vejo homens que não têm coragem de terminar o relacionamento. Que não esclarecem que acabou. Que deixam que os outros entendam o que desejam entender. Que preferem fugir do barraco e do abraço esmurrado.... Continue lendo →

Do grito ao grito

Estou gritanto. Um grito forte que chega doer a garganta. Quero correr, mas minhas pernas se tornaram chumbo e não consigo sair do lugar. Quero chorar só que parece que não há mais lágrimas em mim. Parece que quanto mais quero passar despercebida mais e mais as pessoas estão me notando. Grito, corro e choro... Continue lendo →

Um passo à trás

Naquele dia eu não tinha ideia do que aconteceria, segurei sua mão e sai puxando, festa a fora. Claro, todos estavam bêbados e cantando algum rock clássico  (até mesmo aqueles que não curtem), mas os poucos sóbrios viram e não entenderam, afinal, não éramos nós que há tempos nos ignorávamos por erros que havíamos cometidos...?... Continue lendo →

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑