[Conto] O Redentor – Fabi Drago

Uma leitura rápida e grata. Me fez lembrar da trilogia A Mão Esquerda de Deus do Paul Hoffman, pessoas que são escolhidas como anjos da morte em nome de um deus. Embora na metade do conto eu já tivesse entendido a linha que se seguiria, o conto não deixa a desejar em te fazer pensar... Continuar Lendo →

Anúncios

[Diário de Leitura] Queda de Gigantes – Ken Follett / 35 de 910 páginas

Olá minha gente, tudo bom contigo? Assim como no ano passado, vou fazer o diário de leitura da trilogia O Século do tio Follett, se você é novo e não está sabendo desse projeto, ano passado resolvi ler os livros do Ken Follett, já que meu colega do trabalho me deu quatro calhamações e eu... Continuar Lendo →

[Conto] Light – Gleyzer Wendrew

Olá, tudo bom? Essa semana estava mega corrida, mas ainda assim consegui encaixar um conto nas minhas leituras, quero dizer, esse é um mini conto, então em cinco minutinhos eu havia acabado. Light traz uma pergunta, como aparece na sinopse da Amazon, "O que você faria se acordasse cego, surdo e mudo, preso na Escuridão:... Continuar Lendo →

[Projeto] Prêmio Nebula e Prêmio Hugo – Bora Ler?

Olá, tudo bom?   Estava eu visitando os blogs que acompanho em meados de agosto e vi uma postagem bem interessantes dos Leitores Vigaristas: TODOS os vencedores do prêmio NEBULA disponíveis no Brasil e claro, como tenho alguns livros mencionados, pensei com os meus botões em fazer a leitura desses livros e trazer pro blog. Fucei mais... Continuar Lendo →

[Projeto] Que venha 2019!

Eita que estamos já em 2019. Uau, nem nos meus mais longínquos sonhos, imaginei estar neste ano. Mas cá estamos e nesta primeira postagem do ano quero contar as novidades que virão já nesse primeiro semestre. Alguns não tão novos assim mas ganharam mais força esse ano, outros são adaptações de ideias que andei vendo... Continuar Lendo →

[Poema] Soneto do Amigo – Vinicius de Moraes

Enfim, depois de tanto erro passado Tantas retaliações, tanto perigo Eis que ressurge noutro o velho amigo Nunca perdido, sempre reencontrado. É bom sentá-lo novamente ao lado Com olhos que contêm o olhar antigo Sempre comigo um pouco atribulado E como sempre singular comigo. Um bicho igual a mim, simples e humano Sabendo se mover... Continuar Lendo →

Escreva um blog: WordPress.com.

Acima ↑